Experiências anômalas e dissociativas em contexto religioso: uma abordagem autoetnográfica

Maraldi, Everton de Oliveira, Costa, Adriano da Silva, Cunha, Alexandre, Rizzi, André Renato, Flores, Douglas, Hamazaki, Edson Sigueyoshi, Machado, Fatima Regina, Medeiros, Gabriel Teixeira de, Queiroz, Gregório José Pereira de, Martinez, Mateus Donia, Silva Filho, Percilio Araújo da, Martins, Rafisa Moscoso Lobato Mendonça, Santos, Ricardo Assarice dos, Siqueira, Silvana Paula da Silva, & Zangari, Wellington. (2020). Experiências anômalas e dissociativas em contexto religioso: uma abordagem autoetnográfica. Revista da Abordagem Gestáltica26(2), 147-161. https://dx.doi.org/10.18065/2020v26n2.3

RESUMO

A presente pesquisa investigou as características fenomenológicas das experiências anômalas (EAs) relatadas em contextos mediúnicos umbandistas, a partir de uma comparação entre EAs reportadas durante rituais envolvendo o uso da substância Ayahuasca e rituais sem o uso dessa substância. Para tanto, comparamos indivíduos com diferentes graus de envolvimento com as práticas mediúnicas umbandistas, tendo por base uma abordagem autoetnográfica. A perspectiva metodológica adotada nos permitiu confrontar os dados subjetivos com o conhecimento disponível na literatura acadêmica acerca das EAs, dos fenômenos dissociativos e estados alterados de consciência, tendo sido fundamental para uma compreensão mais sensível das nuances e características dessas experiências. Os relatos analisados atestam uma semelhança significativa entre as experiências vivenciadas com e sem o uso de Ayahuasca em contextos mediúnicos. Em ambos os casos, os experienciadores puderam reconhecer similaridades no que diz respeito à redução do controle motor, às alterações perceptivas e mnêmicas experimentadas, à comunicabilidade da experiência, à recepção anômala de informação e a um aumento da sensibilidade interpessoal. Os resultados indicam a viabilidade metodológica da autoetnografia como recurso para um aprofundamento de aspectos das EAs e outras experiências subjetivas usualmente de difícil investigação por outros métodos.

Palavras-chave: religião e psicologia, religião e ciência, estado de consciência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *