Nova Disciplina: PST 5936 -Psicologia Social da Crença: Desigualdade, Saúde e Pensamento Crítico

O período de inscrição para alunos regulares, alunos especiais e ouvintes já se encerrou.


Data inicial: 05/08/2020       Data final: 28/10/2020

Disciplina on-line.


Docente Responsável: Wellington Zangari

Ministrantes:

Beatriz Ferrara Carunchio
Camila Mendonça Torres
Fatima Regina Machado
Leonardo Breno Martins
Miriam Raquel Wachholz Strelhow
Wellington Zangari

Objetivos:

1) Dar a conhecer as principais teorias e pesquisas do fenômeno da crença, sobretudo, mas não exclusivamente, dentro de uma perspectiva psicossocial; 2) Discutir as relações entre crença e percepção da realidade; 3) Avaliar as possíveis implicações teóricas e metodológicas do estudo da crença para a compreensão de fenômenos como desigualdade, autoritarismo e fanatismo, notadamente em contextos políticos e religiosos; 4) Refletir a respeito de como o sistema de crença científico impacta tanto na percepção de cientistas quanto de não-cientistas quanto ao conceito e delimitação de “evidência científica”; 5) Avaliar as relações entre a adoção de sistemas de crenças e a saúde (física, mental e social); 6) Refletir a respeito da importância do desenvolvimento das habilidades ligadas ao pensamento crítico como ferramenta para a avaliação de alegações baseadas em sistemas de crenças (científicas e não-científicas).

Justificativa:

Os sistemas de crenças (políticos, religiosos, científicos, dentre outros) não apenas modelam nossa percepção da realidade como produzem variados efeitos em nossas atitudes. Tais efeitos podem estar, por exemplo, subjacentes à adoção de políticas públicas de uma nação, à manutenção de desigualdades e à interpretação do que se considera uma evidência científica. No contexto político, tanto como fenômeno no Brasil quanto no exterior, sistemas de crenças legitimam perspectivas, muitas vezes antagônicas, binárias e polarizadas. Do mesmo modo, vemos se desenvolverem movimentos sociais pseudocientíficos, e mesmo anticientíficos, como os movimentos antivacina, terraplanista e negacionista. São fenômenos que exigem uma aproximação da Psicologia Social tanto para sua elucidação quanto como tentativa de superação de seus potenciais efeitos deletérios. Se, por um lado, há literatura científica que embasa a necessidade de considerar a importância da adoção de sistemas de crenças para a constituição da subjetividade e de seus efeitos positivos sobre a saúde (física, mental e social), há, igualmente, estudos que apontam para riscos individuais e coletivos dessa adoção a depender da qualidade do sistema adotado e de seus efeitos em indivíduos e grupos. A disciplina, portanto, visa oportunizar a compreensão dos processos psicossociais subjacentes à construção e adoção de crenças e sistemas de crenças também para fundamentar a busca de superação das desigualdades por ela legitimadas. Nessa busca. procurar-se-á interlocução da Psicologia Social da Crença com o campo do pensamento crítico.

Conteúdo:

1. Conceito de crença em diversas disciplinas e saberes; trinômio clássico na Psicologia Social: crenças, valores e atitudes; contexto do estudo das crenças na Psicologia; 2. Crença e subjetividade; 3. Crença e cultura; 4. Sistemas de crenças, (im)permanências, sentido de vida e saúde; 5. Crença, religião e política; 6. Como os sistemas de crenças (crenças ideológicas e visões de mundo) influenciam a visão das pessoas sobre a realidade e a respeito de fatos relevantes dessa realidade? 7. O raciocínio motivado em crenças morais e suas consequências: moralização, “fatualização” e socialização; 8. Crenças e desigualdades: o caso das desigualdades econômicas – discutindo o “igualitarismo” vs. o “conservadorismo” – as desigualdades de gênero (no trabalho e na academia); 9. O impacto da ameaça na percepção da realidade: a. a relação entre populismo (anti-elitismo, anti-pluralismo e nacionalismo ameaçado) e teorias conspiracionistas; b. o sofrimento como justificativa ou como a cultura molda a forma como interpretamos o sofrimento; 10. Crença e ciência: a. como o sistema de crenças científicos moldam a interpretação das evidências científicas; b. como as concepções (crenças) políticas definem o que é e o que não é um objeto de estudo científico; c. como prevenir a influência deletéria do sistema de crenças na ciência: o conceito de “inferência forte” de Platt. 11. Como os não-cientistas interpretam a ciência: a. como as crenças essencialistas afetam a interpretação do trabalho científico em áreas como genética e impactam a compreensão das pessoas a respeito de raça, gênero e criminalidade; b. viés de impacto e a negação de evidências científicas; 12. É possível “corrigir” a percepção imprecisa da realidade? Estratégias de desenvolvimento do pensamento crítico: a. estímulo da motivação por precisão; b. desenvolvimento da curiosidade genuína e; incremento da divulgação científica.

Bibliografia:

Bibliografia básica:

  • Alcock, J. (1995). The belief engine. Skeptical Inquirer, 19(3), 14-18.
  • Alcock, J E. (2018) Belief: what it means to believe and why our convictions are so compelling. Amhrest, NY: Prometheus Books.
  • Krüger, H. (1995). Psicologia das crenças: perspectivas teóricas. Rio de Janeiro (RJ): Universidade Estadual do Rio de Janeiro.
  • Rutjens, B. D., & Brandt, M. D. (Eds.). (2018). [Current issues in social psychology.]. Belief systems and the perception of reality. Routledge.

Bibliografia complementar:

  • Bunge, M. (2018). From a Scientific Point of View: Reasoning and Evidence Beat Improvisation across Fields. Cambridge Scholars Publishing.
  • Damisch, L., Stoberock, B., & Mussweiler, T. (2010). Keep your fingers crossed! How superstition improves performance. Psychological Science, 21(7), 1014–1020.
  • Flynn, D. J., Nyhan, B., & Reifler, J. (2017). The nature and origins of misperceptions: Understanding false and unsupported beliefs about politics. Political Psychology, 38(S1), 127–150.
  • Irwin, H. J. (2009). The psychology of paranormal belief: A researcher’s handbook. Univ of Hertfordshire Press.
  • Kahan, D. M., Landrum, A., Carpenter, K., Helft, L., & Hall Jamieson, K. (2017). Science curiosity and political information processing. Political Psychology, 38(S1), 179–199.
  • Kennedy, K. A., & Pronin, E. (2008). When disagreement gets ugly: Perceptions of bias and the escalation of conflict. Personality and Social Psychology Bulletin, 34(6), 833–848.
  • Lamont, P. (2013). Extraordinary beliefs: A historical approach to a psychological problem. Cambridge University Press.
  • Murray, S. L., Holmes, J. G., & Griffin, D. W. (1996). The self-fulfilling nature of positive illusions in romantic relationships: Love is not blind, but prescient. Journal of Personality and Social Psychology, 71(6), 1155.
  • Nyhan, B., & Reifler, J. (2010). When corrections fail: The persistence of political misperceptions. Political Behavior, 32(2), 303–330.
  • Platt, J. R. (1964). Strong inference. Science, 146, 347-353.

9 Replies to “Nova Disciplina: PST 5936 -Psicologia Social da Crença: Desigualdade, Saúde e Pensamento Crítico”

    1. Olá, Sebastian!
      O calendário ainda não foi definido em função da pandemia. Assim que houver definição, a informação será apresentada na página.
      Abraços,
      Equipe InterPsi USP

  1. Gostaria de participar dessa disciplina pois é muito interessante, também e inovadora temas realmente facinante e com vários aspectos a serem conversados.

    1. Olá, Fabiana! Já está disponível a possibilidade de participar como aluno especial (para quem não é aluno da USP, mas que tem interesse em ter os créditos para uma futura pós) ou como aluno regular (para quem já faz pós na USP). A informação já está na página. Mas estamos tentando também oferecer a disciplina como curso de extensão, de modo que qualquer pessoa pode participar e receber um certificado de curso de extensão, desde que cumpra as exigências de frequência e nota. Assim que isso seja aprovado, a informação aparecerá na página.
      Um abraço,
      Equipe InterPsi USP

    1. Prezada Patrícia,
      As informações de como proceder estão na página:
      http://interpsi.org/2020/06/09/nova-disciplina-psicologia-social-da-crenca-desigualdade-saude-e-pensamento-critico/
      Não há uma página de inscrição uma vez que as pessoas interessadas devem enviar informações por e.mail:

      Interessados em se inscreverem como alunos especiais deverão enviar Currículo com no máximo 2 páginas e carta justificando o interesse em cursar a disciplina para o e-mail: ccppsicologiasocial@usp.br até no máximo 10 de julho de 2020.
      Alunos ouvintes serão bem-vindos, mas deve haver aprovação prévia por parte dos ministrantes. Uma carta de até 2 páginas com a justificativa para a participação deve ser encaminhada para contato@interpsi.org

      Abraços,
      Equipe InterPsi USP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *